quinta-feira, abril 29, 2010

Lidando com o meu Eu 'invisível'...

Então gente, estão me vendo?
Aqui ó...
Ei, aqui...
Ah! Desisto... Preciso aprender a lidar com o meu "Eu" invisível...
Eu não tenho a cara da atriz que fez o papel da Mulher Invisível no Quarteto fantástico, que eu esqueci o nome agora (tá, pareço beeem de loooonge...kkkkkk), mas tenho os poderes dela, sabiam???? Acho que todo mundo tem. Alguns dias pro lado bom e outros pro lado nem tão bom assim...
Queria poder usar mais esse poder naqueles dias em que to querendo aprontar sem ser notada, sabe?...(mas uma peruca funciona bem de vez em quando...Sensacional essa idéia...hahahhaa. Não, nunca usei.). O que é, gente??? Nunca ninguém quis aprontar sem ser notada??? Ah, fala sério!!!! kkkkkkk
Mas às vezes eu tenho a impressão que esse dispositivo é ativado sem a minha permissão. Não estou reclamando do assédio da ala masculida, pq essa espécie enxerga tuuuudo quanto é coisa. E já tenho o meu exemplar dessa espécie e graças à Deus ele me enxerga muito bem. E só tem olhos pra mim... (hihihihihi...agora eu apelei na piada, né?).
Bom, o fato é que já me fiz de doida e vesti minha capa de invisível muitas vezes pra fugir de uma reunião da qual não tinha nenhuma importância a minha presença, já vesti minha capa de invisível quando dei oi pra alguém que me deixou no vácuo, já vesti a capinha tbm quando não fui a um compromisso chato ou até quando não quis atender uma ligação daquelas numa noite qualquer dessas aí... Todo mundo faz isso, não adianta...
Mas as vezes é dose, né? Tem gente que tem o dom de te tirar do sério e te trata de forma tão superficial que vc realmente se sente invisível.
Tive um chefe que fazia questão de me ignorar todas às vezes que eu discordava de alguma opinião dele. me ignorava dias a fio...Não brigávamos, até pq eu respeito muito os meus chefes, mas tínhamos uma abertura boa para nos "metermos" um na vida do outro e isso dava o direito a ele (ele achava que tinha esse direito) de me ignorar solenemente. E eu o amava de paixão, apesar de tudo. Admiro-o até hoje e quando nos encontramos pelos corredores (pq ele não é mais meu chefe, Graças!!!) até damos risada da nossa relação de amor e ódio. Mas passou e "só ficou o que foi bom". Aprendi muito com ele. Inclusive que a minha capinha de invisível às vezes é providencial...
Em alguns momentos a amizade te faz invisível para outras áreas da sua vida. Tem gente que confunde a pessoa extrovertida ou deprê de alguns momentos (pq todos nós temos esses momentos de altos e baixos), com o profissional que vc é. E não te dá credibilidade. E vc passa despercebida, invisível literalmente...
Mas eu prefiro olhar pra essa minha invisibilidade momentânea como uma forma de evolução. Tipo o a lagarta que entra no casulo e sai borboleta!? Pois é... minha hora de borboleta tá chegando. E digo, com toda certeza que minha estada dentro do 'casulo invisível' terá sido de grande valia...
É isso... Fica aqui o desabafo!

2 comentários:

Maria José disse...

Olá amiga. Gostei do post. Acho que todo mundo já sentiu essa vontade. Só que nunca teve coragem de assumir. Beijos.

RENATA PIRES disse...

hahaha!!! é verdade Maria José... Muita gente não assume suas vontades. Eu tenho coragem e muitas vezes sofro por isso.
Obrigada pelo comentário.
Bom final de semana e um beijão pra vc.