quinta-feira, junho 21, 2012

O sagrado direito ao silêncio.

Esses dias, após os dias tensos que vivi com a perda da minha amiga, desenvolvi um sentimento de preocupação intenso que me prejudicou muito. Não adiantou ninguém falar que estou grávida e isso pode me fazer mal e mal ao bebê, pq o que estava sentindo era aquilo mesmo e sentimento a gente não controla... apenas sente... e pode apenas administrar o comportamento que vem com tal sentimento. E eu não soube administrar isso.
Ok, a morte é algo real e vai acontecer com todos nós e quando menos esperarmos, mas eu precisava de alguma forma viver o luto e tudo o que essa dor trouxe.
Não paralisei frente ao acontecido, apenas vive a minha vida de lá pra cá com mais preocupação, tensão e realmente isso não é bom e nem me fez bem. Perdi, nesses dias, o meu bom humor, o convívio feliz com as pessoas que eu amo, apenas por querer ficar quieta, pensando e refletindo...
Acontece que em algumas pessoas esses sentimentos dolorosos refletem no aspecto físico e eu sou uma pessoa assim... Tenho reações físicas a alguns acontecimentos da vida... E ainda mais estando grávida... Não imaginava que a coisa daria uma aumentada de tamanho. Tudo triplica de tamanho...
Ontem me vi obrigada a ficar em casa descansando e me recuperando desse sentimento de perda. Esse sentimento que me fez sentir dores emocionais e físicas e um medo enorme do futuro.
Fiquei em silêncio. Orei. Fiquei só. Dormi. Me alimentei bem. Dormi de novo. Me reergui.
Me renovei e entendi, como sempre entendo, que a vida continua e que a minha vida tem agora um motivo a mais de renovação... Estou gerando um pedacinho de amor que não precisa que a mãe dele(a) fique tão triste assim.
O sagrado direito à reclusão para que as coisas sejam colocadas nos seus devidos lugares deveria ser sempre respeitado. O problema é que muitas vezes queremos que esses sentimentos sejam mascarados com a rotina normal do dia a dia... Isso é bom até quando não te agride nem ofende... Me agrediu eu não ter respeitado o meu momento.
O bom é que o sol voltou a brilhar e esse início de estação veio me renovar e me trazer de volta aos bons pensamentos e planos de um futuro bom.


É isso. A vida continua sempre.

2 comentários:

Anônimo disse...

Biga!!!!
É isso mesmo...Permita-se!
Permita-se ser feliz e triste, chata, briguenta e alegre quando vc bem entender. Acho que isso é o que faz a pessoa ser ela mesma.
E, te conhecendo como te conheço, sei que vc é assim! E concordo... e sou assim também....
E saiba que to aqui não só pra tomar o cafezinho e bota a fofoca em dia, mas pra emprestar o ombro na hora dificil... e se nada der certo no final, ainda estarei aqui emprestando o ombro.
Nem tudo são flores, mas a vida segue!
Amo-te!
Dani Dickel.

disse...

Amiga minha, obrigada por tudo. Sei que posso contar com vc, sempre.
Bjo. Tbm te amo.