quinta-feira, novembro 12, 2009

Cuide - se (2)!!

Oi gente.
O título desse post de hoje é continuação de um que eu coloquei aqui no mês de setembro, quando eu disse que me senti amada por mim por estar me cuidando, lembram?
Pois é...
Ontem retornei à minha médica e levei resultados de exames que ela havia me pedido.
Eu descobri que tenho SOP (Síndrome de Ovário Policístico). É...parece banal, mas se a pessoa não cuidar pode acarretar em tantos outros problemas...até na infertilidade. E nem é tão comum quanto a gente pensa...Apenas de 5 a 10 % das mulheres desenvolvem a SOP.
Como de costume saí a caça de complemento de informação ao que ouvi da minha médica, que por sinal é minha chará. Ela é ótima e me deixou super tranquila. E pra tranquilizar quem lê esse "OMIRDE" blog (inclusive o meu pai), aviso que já comecei o tratamento.

Vou colocar aqui um texto que encontrei em um site confiável e que explica de forma clara o que é a SOP. Espero sinceramente que ajude alguém e eu vou contando a evolução do meu tratamento...
E peço às minhas amigas, colegas, leitoras que se cuidem. prestem atenção nos recados que seu corpo vai dando. Não tive todos os sintomas, mas eu observei muitas coisas em mim, mas não imaginei que pudesse precisar de algum tratamento.
Mais uma vez: Cuidem-se!!!!! Mas não só da beleza...

Texto:

Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP)


A maioria das pessoas está familiarizada com o estrogênio e a progesterona como os hormônios femininos produzidos pelos ovários que fazem os ciclos menstruais mensais acontecerem. Poucos estão atentos que um terceiro hormônio, a testosterona, também é produzida por todos os ovários, normalmente em quantidades pequenas. A Testosterona pertence a uma classe de hormônios chamados androgênios, e é o hormônio sexual dominante nos homens. Quatro a sete por cento das mulheres produz testosterona em excesso em seus ovários, e estas mulheres têm um padrão de sintomas que são chamados no conjunto de SÍNDROME DE OVÁRIOS POLICÍSTICOS.
Quando uma mulher tem um nível elevado de hormônios androgênios em seu corpo, seus ovários continuam desenvolvendo óvulos (nos folículos que, como cistos, têm bolsas cheias de líquido). Porém, ela não pode normalmente liberar seus óvulos dos ovários. Os ovários dela parecem conter muitos cistos – daí o nome "ovários policísticos". Por causa deste problema (da ovulação ausente "ou infreqüente"), as mulheres com esta condição podem ter problemas com a fertilidade. Quando não houver nenhum óvulo liberado, os hormônios da mulher também não são ativados para mudar seus níveis, como regularmente ocorre a cada ciclo menstrual. Em reação, o útero fabrica ainda uma camada revestindo seu interior. Esta camada é um pouco mais frágil que a normal e pode sangrar irregularmente. Este sangramento não ocorre de uma só vez, como no ciclo menstrual normal. Por causa do desequilíbrio hormonal, esta camada do útero também aumenta o risco de desenvolver câncer.
Os hormônios androgênios causam efeitos adicionais nas mulheres com SÍNDROME DE OVÁRIOS POLICÍSTICOS. Da mesma maneira que é visto nos meninos na adolescência que têm níveis altos de androgênio, as mulheres com androgênio alto podem ter problemas com acne e podem ter crescimento aumentado de pêlo num padrão masculino como na área de bigode ou na face.
Uma recente pesquisa mostrou que as mulheres com SÍNDROME DE OVÁRIOS POLICÍSTICOS não só têm níveis altos de hormônios androgênios mas também tem níveis elevados de insulina. A Insulina é produzida em quantidades mais altas para compensar a resistência do corpo contra os efeitos de insulina. É provável, embora não tenha sido provado, que o excesso de insulina seja a raiz do problema todo na SÍNDROME DE OVÁRIOS POLICÍSTICOS: o excesso de insulina pode levar os ovários a produzirem mais hormônios androgênios extras. Os níveis altos de insulina adicionam outras preocupações significativas nas mulheres com esta doença. As mulheres afetadas são muito mais prováveis de desenvolver obesidade, e também têm um risco alto para desenvolver o diabetes, pressão alta, anormalidades no colesterol e doença do coração.
Ninguém sabe ao certo por que a resistência à insulina acontece. Acredita-se que a SÍNDROME DE OVÁRIOS POLICÍSTICOS, como a maioria dos casos de resistência de insulina, seja causada por um defeito genético herdado.

Quadro Clínico:
Normalmente a SÍNDROME DE OVÁRIOS POLICÍSTICOS não é uma causa de sintomas antes da metade da puberdade, quando os ovários começam a produzir hormônios em quantidades significativas. As mulheres podem ter alguns ou todos os sintomas seguintes:
• Períodos menstruais que são infreqüentes, irregulares ou ausentes
• Dificuldade de engravidar
• Obesidade (40 a 50 por cento das mulheres com esta condição irão se tornar obesas)
• Acne
• Crescimento de cabelo nas áreas da barba, do lábio superior, costeletas, tórax, área ao redor dos mamilos ou no abdômen inferior ao longo da linha mediana
• Aparecimento de pele escura e grossa (às vezes descrita como "aveludada") nas axilas
• Pressão alta, taxa de açúcar (glicemia) elevada no sangue ou colesterol alto.



Diagnóstico:
O primeiro passo no diagnóstico da SÍNDROME DE OVÁRIOS POLICÍSTICOS é seu médico colher uma história pregressa detalhada e fazer o exame físico. Se seus ciclos menstruais forem irregulares, um teste de gravidez deve ser feito.
Mudanças no padrão de crescimento dos pêlos ou o desenvolvimento de acne podem ser o suficiente para seu médico dizer que você tem um nível de hormônios androgênios elevados em seu corpo. Exames de sangue também podem descobrir níveis altos de androgênios, e os exames de sangue são úteis para confirmar que o excesso de androgênio é principalmente de testosterona, o tipo de androgênio que é fabricado nos ovários. Se um tipo diferente de hormônio androgênio está elevado, ou se os níveis de testosterona são mais que moderadamente aumentados, a SÍNDROME DE OVÁRIOS POLICÍSTICOS pode não ser o melhor diagnóstico, e seu médico pode decidir fazer algum exame adicional para checar problemas em suas glândulas supra-renais. Você também deve fazer um exame de sangue para checar os níveis de prolactina - hormônio produzido na glândula pituitária do cérebro. Níveis muito elevados de prolactina podem causar uma síndrome semelhante a SÍNDROME DE OVÁRIOS POLICÍSTICOS e devem despertar seu médico a pensar em um diagnóstico alternativo.
Evidências que você tem níveis de androgênio elevados e períodos menstruais infreqüentes ou ausentes é informação suficiente para seu médico lhe dar o diagnóstico de SÍNDROME DE OVÁRIOS POLICÍSTICOS, contanto que sejam excluídas outras causas. Muitos médicos decidirão dosar os níveis de outros hormônios sexuais que são afetados como resultado desta condição, inclusive o LH (Hormônio Luteinizante) e o FSH (Hormônio Folículo Estimulante), para reforçar a impressão diagnóstica. Alguns médicos podem decidir examinar seus ovários usando o ultra-som, especialmente se o toque vaginal mostrou seus ovários aumentados no exame pélvico. É provável que um exame de ultra-som mostre cistos múltiplos no ovário, mas este exame não é necessário para o ginecologista fazer o diagnóstico.
Por causa do risco aumentado para o diabetes e doença do coração que acompanham esta condição, é muito importante fazer exame de glicemia (açúcar no sangue) e seu colesterol. Para diagnosticar o diabetes precocemente, seu médico pode pedir uma glicemia pós-prandial (pós refeição), de forma que você seja avaliado quando seus níveis de açúcar estiverem mais altos.



Prevenção:
Como se acredita que a SÍNDROME DE OVÁRIOS POLICÍSTICOS provavelmente deva-se a um problema hereditário, não há nenhum modo de preveni-la. Nossa compreensão dos problemas relativos a resistência à insulina está melhorando rapidamente, eventualmente é possível que nós consigamos eliminar muitos ou todos os sintomas da SÍNDROME DE OVÁRIOS POLICÍSTICOS se nós melhorarmos o tratamento da resistência à insulina.
O tratamento da SÍNDROME DE OVÁRIOS POLICÍSTICOS pode prevenir as complicações como o câncer uterino. Como você terá um risco aumentado para a doença do coração e problemas do colesterol tendo esta condição, é muito importante que você evite fumar, mantenha um regime de exercícios saudáveis e siga uma dieta pobre em colesterol.



Tratamento:
São recomendados: redução de peso, dieta e exercícios para todas as mulheres com SÍNDROME DE OVÁRIOS POLICÍSTICOS, para prevenir a obesidade e ajudar a prevenir a doença do coração e o diabetes. Outros tratamentos para a SÍNDROME DE OVÁRIOS POLICÍSTICOS serão necessários dependendo dos sintomas e da possibilidade da mulher desejar engravidar.
Mesmo se a gravidez não é desejada, é importante restabelecer os ciclos menstruais normais, de forma que o risco para o câncer no útero seja reduzido. Para isso podem ser prescritos hormônios suplementares como a pílula de progesterona por 10 a 14 dias por mês. Outra forma de abordagem, com uma vantagem a mais, é tomar uma combinação (estrogênio e progesterona) de pílulas anticoncepcionais. Depois de seis meses em uso das pílulas anticoncepcionais, os efeitos colaterais como crescimento de pêlos e acne normalmente terão melhora significativa.
Para mulheres que permanecerem com problemas com os pêlos não desejados e acne, pode ajudar a adição de um remédio antiandrogênio. O mais comum antiandrogênio usado é a Espironolactona (o Aldactone â), embora outros estejam disponíveis. O arrancamento ou o tratamento a laser cosmético (eletrólise) também podem ser usados para a remoção dos pêlos.
É agora possível ajudar aproximadamente 75 por cento das mulheres afetadas a engravidar. O Citrato de Clomifeno (Clomid â, Milophene â, Serophene â), um medicamento que ajuda o ovário a liberar seus óvulos, é a base do tratamento.
Como nós aprendemos mais sobre o papel dos altos níveis de insulina na SÍNDROME DE OVÁRIOS POLICÍSTICOS, nós estamos descobrindo vantagens em tratar as mulheres afetadas com medicamentos que especificamente tratam a resistência à insulina. Até mesmo quando o diabetes não aconteceu como uma complicação, os medicamentos do diabete que diminuem a resistência à insulina – o metformin (Glucophageâ), a rosiglitazona (Avandia â), e a pioglitazona (Actosâ) - podem diminuir os níveis de testosterona, restabelecer os ciclos menstruais normais, e ajudar na fertilidade.
Todas as mulheres que têm complicações com o colesterol alto, pressão alta ou diabetes devem receber aconselhando específico e tratamento para estas condições.
A Cirurgia é usada raramente para a SÍNDROME DE OVÁRIOS POLICÍSTICOS, embora seja um tratamento comum, e possa permitir melhoras temporárias nos sintomas.



Qual médico procurar?
É prudente ser avaliado para SÍNDROME DE OVÁRIOS POLICÍSTICOS se você tem alguns dos sintomas mencionados acima, especialmente se você teve ciclos menstruais irregulares ou ausentes por mais de seis meses.



Prognóstico:
Este problema tem seu começo na puberdade e permanece ao longo do tempo que os ovários estejam em funcionamento (até que eles parem de produzir hormônios devido à menopausa). A resistência aos efeitos da insulina e os conseqüentes níveis de insulina altos, o risco de diabetes e o risco de doença do coração persistem provavelmente ao longo de vida.



A maioria das mulheres pode ter melhora ou resolução de seus sintomas com o tratamento. Mulheres com SÍNDROME DE OVÁRIOS POLICÍSTICOS precisam prestar rígida atenção ao longo de sua vida para que possam reduzir seus riscos para a doença do coração e para o diabetes.
__________________________________
Publicado por
Informedicals Policlin

Um comentário:

Maria José disse...

Oi linda. Não conhecia essa doença. E sei que vai superá-la.
Tem um selo de presente para você em SELO: BLOG INSTIGANTE, dado com muito carinho. Beijos.